sábado, 23 de maio de 2015

Tenho saudades de te sentir perto. Aqui, ao meu lado. De a tua mãe perguntar por mim e da minha me perguntar quando vamos estar juntos. Tenho saudades dos cochichos, das conversas e das brincadeiras. Tenho vontade de ter o meu menino de volta. De sentir que estás aqui, sempre. Estavas e depois tudo mudou. Eu sabia que um amor assim não acabava, mas também sabia que quem magoa assim, não esquece. Eu pedi-te tantas vezes. Supliquei. Amei. E agora sinto saudade. Revolta. E recordo. Tudo o que se passou continua aqui dentro, guardado neste sítio pequenino a que toda a gente chama de coração. Lugar estranho, traiçoeiro. E tenho esperança que um dia tudo se resuma a nós, novamente. Nós. Tenho saudade de nos juntar numa só palavra. Nós. Agora passou a ser um tu e eu mais separados do que nunca. Um tu e eu que não se cumprimentam. Que não têm conversa. Não têm aventuras juntos. Não convivem.  E eu pergunto-me se este sentimento enorme só cabe dentro do meu coração ou se ainda mora no teu também. Antes eu tinha a certeza que eras tu. O meu protetor. O meu homem. O meu pequeno de sempre. Agora sei que és uma recordação. E acredita, recordo-te com carinho. Ajudaste-me a crescer e agora que sou grande, eu sei, que um dia, me ajudarás a viver. Um beijo do tamanho do mar. 

1 comentário:

Mariana disse...

"Nós. Tenho saudade de nos juntar numa só palavra." Há saudades que nos transformam e nos alteram... Que o teu menino se aperceba, sempre, que és a menina dela. E que te sintas protegida sempre que o precisares!! Os beijos do tamanho do mar são infinitos... Assim como o teu amor. A tua ternura.

Um beijo ainda maior